quarta-feira, 13 de julho de 2016

Olhar Veterinário: Canal no Youtube para animais!


Acompanhe o mais novo canal de vídeos sobre animais. Criado pelo Médico Veterinário Gutemberg Lopes o canal no youtube vai mostrar vídeos reais, de situações reais vividas pelo Veterinário Gutemberg.
Vídeos em pet shop´s ,ao ar livre e todas as diversas situações de curiosidades e entretenimento.


Faça sua inscrição e siga o canal:







sábado, 7 de maio de 2016

14 fotografias de animais no ventre materno

Pesquisadores da National Geographic conseguiram o impossível: eles foram capazes de fotografar momentos realmente fantásticos do início da vida. Para isso, precisaram de uma grande quantidade de câmeras conectadas a um sistema de ultrassom 4D. E agora, graças a isso, podemos ver como é maravilhosa a preparação para o nascimento.
Escolhi fotografias que permitem conhecer o grande segredo da gestação de algumas das espécies com as quais convivemos. É um verdadeiro milagre! E, claro, uma homenagem ao dia de todas as mães.

ELEFANTE

TUBARÃO

VACA

PINGUIM( NO OVO )

CACHORRO

CAVALO

GOLFINHO

MORCEGO

GATINHO

COBRA ( NO OVO )

LEÃO

GUEPARDO

URSOS POLARES

FILHOTE DE CHIHUAHUA



terça-feira, 12 de janeiro de 2016

O tempo de vida dos cães.




As fases e as suas idades reais

Quando dizemos que os bichinhos de estimação são muito parecidos com os donos não estamos exagerando. Isso serve tanto para as manias quanto para a vida em geral. Muitos não sabem, mas assim como as pessoas, os cachorros possuem todas as fases de desenvolvimento: infância, adolescência, adulta e velhice e todas elas merecem uma atenção especial. Logo, é essencial que o dono do cão saiba diferenciar cada uma dessas etapas para proporcionar ao animal um tratamento mais adequado.

Muito possivelmente você já deve ter ouvido essa história: a cada um ano de vida de um ser humano é igual a sete anos da vida de um cachorro. No entanto, tal equivalência não é calculada exatamente dessa forma, até porque a fisiologia de um animal de pequeno porte é muito diferente se comparada com a de um pet de grande porte, por exemplo. Dessa maneira, é óbvio que a relação de vida entre pessoas e animais é completamente adversa e não pode ser feita em um cálculo simples como esse.

Para ter uma ideia de como essa conta não bate, um cachorrinho de pequeno porte, que tenha em média seis meses, pode ser comparado a um adolescente com 15 anos de idade. Com dois anos, a sua idade equivale a um adulto de 27 anos. Ao completar dez anos, o cachorro terá a idade de uma pessoa de 55 anos. Já aos 18 anos, o bichinho será comparado a um idoso de 90 anos.

Para os cães de médio porte o cálculo é outro, pois eles possuem uma expectativa de vida inferior aos de pequeno porte. Pegando como exemplo as mesmas idades citadas acima (seis meses, dois e dez anos) e colocando para os cães que são classificados como médio porte, as idades equivalentes para os humanos serão, respectivamente, oito, 23 e 75 anos. Agora a última idade, 18 anos, normalmente não é alcançada por um bichinho de médio porte. O máximo que ele chega é aos 14 anos caninos, que equivale a um velhinho de 95 anos.

Já os cachorros de grande porte possuem uma idade muito diferente do que os dois anteriores. Aos seis meses, eles equivalem a uma criança de oito anos. Mas, quando completam 12 anos caninos, é como se já tivessem 94 anos de um humano. E o que dizer dos cães gigantes, então? Nesse caso, a vida deles é ainda muito mais curta se comprada com os outros três tipos. Com seis meses eles já têm a idade de uma criança de 12 anos e com dez, os cachorros já possuem a idade de um idoso de 94 anos.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Alguns alimentos são tóxicos para os PETS

Além da escolha do melhor alimento, os donos de pets devem ficar atentos a produtos e itens que são tóxicos para os animais e podem causar graves problemas de saúde.

O chocolate, por exemplo, é completamente contraindicado! Ele tem teobromina, um estimulante do sistema nervoso central que é não é metalizado pelos cães e gatos. Outros produtos que causam intoxicações severas: uvas e uvas-passas,alho e cebola,tomate,cogumelos,semente de maçã,pimenta ( que nunca devem ser usadas no disciplinamento dos pets), batatas, nozes, sal e xilitol, um tipo de adoçante muito utilizado na fabricação de doces industrializados.


terça-feira, 22 de dezembro de 2015

O que fazer para ajudar seu cachorro que morre de medo de fogos de artifício?

Todo ano infelizmente é a mesma coisa: chegam as festas e a barulheira dos fogos de artifício deixa os cachorros muito assustados, alguns entram em verdadeiro pânico! Além do estresse vivido por eles, e muitas vezes pelos donos, a vida dos bichinhos pode correr riscos reais. Isso porque sons altos são gatilhos para que o sistema nervoso dos animais entre em alerta, trazendo ansiedade e medo, e fugir é um instinto de sobrevivência.
Os cães vivenciam o mundo usando muito seus sentidos. Então aqueles sons muito altos, as luzes e o cheiro de queimado e pólvora fazem com que muitos deles, no desespero, fujam de casa, se percam, pulem de lugares altos, podendo se machucar e morrer asfixiados com a coleira.
E aí vem a pergunta, o que podemos fazer para garantir menos desconforto e mais segurança aos nossos amiguinhos?
1) Leve seu cão para se exercitar bastante no início do dia 31 de dezembro, por exemplo, para cansá-lo e deixá-lo em um estado mais relaxado.

2) Acostume seu cachorro fazendo uma aclimatação a sons de fogos de artifício. Antes ou durante as atividades prazerosas – comer, brincar, passear, fazer carinho – coloque para tocar sons de fogos de artifício. Assim o cão terá referências boas associadas aos barulhos dos fogos, e então não fará, necessariamente, a associação com algo ruim. Comece com sons baixos, e com passar do tempo, você poderá aumentar o volume. Essa prática deve ser feita de preferência por alguns meses, porém se começar com somente uma ou duas semanas de antecedência, também será útil.

3) Coloque alguma identificação em seu cachorro. Seu nome e número de telefone podem ajudar muito se ele se perder.


4) Procure transmitir a mensagem de que fogos de artifício e trovões não são ruins. Cachorros são muito influenciados pela maneira como seus donos se comportam. Então, se você morre de medo desses sons, toda vez leva um susto, grita e se irrita, ele perceberá isso. Parece estranho, mas é bom que você mude seu comportamento e demonstre empolgação: comemore, cante, festeje ao ouvir o som.
5) Ligue a televisão ou de preferência coloque músicas calmas. Além de ajudar no relaxamento, irá abafar um pouco o som dos rojões


6) Deixe-o em algum lugar na casa onde ele se sinta seguro, de preferência um ambiente que abafe um pouco o som.  Procure deixá-lo longe de janelas, fechar janelas e cortinas pode ajudar, pois reduzem estímulos visuais que podem assustá-lo. Mas não tranque-o em um quarto e cuide se não há objetos que possam machucá-lo ou que ele possa estragar.